Uma noite no Theo Medeiros

Ainda bem que não demos por vencida a opção de ir ao Cafezal em Flor. Durante o dia, procuramos um lugar que fosse um pouco menos rústico e mais quentinho, pois estava um frio sem noção aqui.  Perto de casa tinha um lugar assim, que sempre ficamos a fim de ir: Theo Medeiros é o nome. Ok, pesquisamos se era acessível (é), se tinha como fazer reserva (não tem) e lá fomos nós conhecer o espaço do Chef Theo, um português que teve sua formação na França e ao vir trabalhar no Brasil… adivinhe? Apaixonou e ficou.

Quando chegamos, a primeira boa surpresa: não precisava de valet e era possível encontrar fácil lugar para estacionar. Se fosse verão, teríamos ido a pé, pois fica bem perto de casa… mas estava uns 7 ou 8 graus.  Só havia mesas na parte de fora, mas aquecedores espalhados pela varanda davam uma aquecida no ambiente. Assim que sentamos à mesa e recebemos o cardápio e vimos que não aceitam cartão de débito nem de crédito. Claro, tivemos que sacar $ e voltar. Ótimo, pois assim sentamos no salão e tivemos uma aventura gastronômica deliciosa e perfeita para a ocasião.

O ambiente é uma graça. Simples e acolhedor. Cheio de livros de arte e culinária nas estantes, luz suave, plantinhas fofas decorando a mesa. Na nossa tinha um vasinho de pimenta. Atendimento sem friluras e a grande estrela, o chef, saiu dois segundos da cozinha e deu uma passadinha pelo salão. O cardápio havia sido reduzido para o dia dos namorados. Havia opção para o prato principal com camarão, lagosta, filet e cordeiro e a carta de vinho tinha um preço justo. Tomamos o argentino Alamos Malbec (2008) que estava excelente e que acompanhou perfeitamente nossos pratos carnívoros. Pedimos grissini (muito bons!) e canapés de mussarela de búfala com tomate e tapenade (uma pasta de azeitona) para abrir a noite. Como prato principal, eu fui de Filet Mignon recheado com Brie (acompanha um risoto de castanhas e frutas secas) e o P. foi de Paleta de Cordeiro (ao molho de hortelã e acompanhado de fettuccine  persillée). Para a sobremesa, o melhor crepe do mundo: Crêpe Soufflé de Laranja, com sorvete de flor de Laranjeira. Olha, eu não sei se era o conjunto da obra (o bistrô, o marido, o vinho, a comida, a música), mas tudo aquilo me soou perfeito!

Na minha opinião, esse sim é o melhor ‘para ir a dois’ . Foi um belo dia dos namorados! =D

Anúncios
Esse post foi publicado em Bistrô, Franceses, Vinhos Argentinos e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s