Monte Verde (MG) – Parte II – (comidinhas do primeiro dia)

Assim que chegamos a Monte Verde deixamos nossas coisas na pousada e fomos para a cidade almoçar. Rodamos por quase todos os lugares até optarmos pelo Rancho da Picanha, que havia sido recomendado pelo proprietário da pousada. O lugar é simples e a comida é boa.Escolhemos o prato do dia: carne, arroz, feijão, fritas, farofa e uma saladinha. O marido foi de bisteca de porco e eu fui de contra-filé. O atendimento foi super simpático e a cerveja tinha o melhor preço de Monte Verde – tomamos a Erdinger por 15 reais, o mesmo preço dos pratos. Indicamos o Rancho da Picanha para um almoço sem firulas e saboroso!

Um pouco depois, ficamos curiosos para conhecer o festival do morango do Café Beija-Flor. Fomos andando até lá (o que significa que percorremos toda a avenida), olhando a cidade, aproveitando o pôr do sol.  O marido pediu uma torta ferrero e ficou apaixonado! Eu provei um pedaço e achei muito gostosa também, mas estava realmente interessada no bombom de morango, que tinha acabado. Pelo que entendi, na torta tem uma camada bem generosa de creme de avelãs, outra com uma casquinha parecida com o bombom Ferrero Rocher e os morangos… não tinha mesmo como ser ruim, né?

No mesmo dia à noite saímos para jantar. Era sexta-feira e a cidade estava praticamente deserta. O termômetro estava marcando -1 grau! A maioria dos restaurantes de lá servem as mesmas coisas: trutas, fondues e grelhados. Saímos decididos a conhecer o Le fondue, mas chegamos um pouco tarde e já não tinha ninguém. Andamos num baita frio e acabamos entrando no Dom Luiz, pois era o único lugar com cara de que não iria fechar nos próximos 10 minutos. Escolhemos um vinho – León de Tarapacá Carménère, que acompanhou super bem o fondue de queijo. O fondue não tinha nada demais e demorou muito para conseguirmos uma técnica para que ele ficasse realmente acolhedor para o frio que estava fazendo! Como o pão estava muito gelado, ele acabava gelando o queijo e foi uma coisa estranha. Depois, vimos que a grande coisa do Dom Luiz eram as sopas e caldos e ficamos meio arrependidos pelo fondue… mas valeu a noite!

Anúncios
Esse post foi publicado em gastronomia, Minas Gerais, Monte Verde, Uncategorized, Viagem. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Monte Verde (MG) – Parte II – (comidinhas do primeiro dia)

  1. Cecilia disse:

    Que delicia!!! Já pegamos -2 graus em Monte Verde…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s